BLOG

12 truques para fazer o espaço render

  • 30 de dezembro de 2013
  • 20h12

Por Nilbberth Silva

Apartamentos com menos de 100 m² dominam o mercado imobiliário. Os dados do último semestre na região metropolitana de São Paulo só confirmam esta informação: os 14.439 apês lançados neste período mediam, em média, 78,22 m². E mais da metade eram imóveis de dois dormitórios – com área média de 55,92 m². É muito aperto! Mas nem tudo está perdido: uma decoração certeira pode ajudar a diminuir a sensação desagradável de morar em uma gaveta. Com a ajuda do arquiteto Diego Revollo, levantamos doze dicas que podem fazer o espaço render no apartamento novo. Formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2001, o jovem arquiteto já decorou 50 apês. Confira cada um dos truques de Diego na galeria de fotos abaixo.

1 – Evite o forro de gesso. Forros diminuem o pé-direito dos apartamentos, piorando a sensação de aperto. “O ideal é tentar manter o pé-direito de 2,60 m”, diz Diego. “Banheiros podem ter altura de 2,40 m – até boa para os padrões de hoje”, acrescenta. Se precisar abrir mão do forro para ter um bom pé-direito, você precisará deixar de lado as lâmpadas embutidas: troque-as por pendentes decorativos. Mas sem exagerar na quantidade: bastam até duas peças duplas por ambiente. Sentiu falta de luz? Adicione iluminação indireta, como luminárias de chão ou de mesa. Caso o apartamento tenha sistema de áudio e vídeo, o forro de gesso é inevitável e vale à pena colocar luzes embutidas. Nesse caso, instale o forro a 12 cm do teto. “Uma distância menor torna difícil achar luminárias”, afirma Diego.

2 – Use móveis grandes. Uma grande quantidade de móveis pequenos faz você sentir-se morando em uma casa de bonecas. Por isso, decida antes de montar a casa como cada ambiente será usado. E compre móveis maiores para atender às principais necessidades. Por exemplo: se você deseja uma sala para assistir TV, use um sofá grande. E só instale mesa lateral se sobrar espaço. “Em se tratando de sofás contemporâneos, os maiores e mais alongados, tendem a serem também os mais bonitos”, diz Diego. O sofá dessa sala de 35m² tem assentos voltados para dois ambientes: estar e TV. Usando apensa um sofá e integrando os espaços, o arquiteto pôde abrir mão de outros móveis, como mesas. “A sala ganhou personalidade, circulação generosa e sensação agradável de amplitude”, diz Diego.

3 – Tome cuidado com as mesas de centro. Escolha mesas de centro que não atravanquem o caminho. A mesa deve permitir espaços de no mínimo 60 cm para circular entre os móveis. Para isso, vale investir em formatos inusitados: mesas compridas e estreitas, ou formadas por um agrupamento de mesas menores. “Agrupamentos de mesinhas não deixam a decoração engessada e têm uma estética mais atual”, diz Diego.

Diego sugere a mesa Favo, da Érea. Formada por hexágonos de diferentes alturas, a mesa pode ser desmembrada e remontada dependendo da situação.

4 – Diminua o número de ambientes. Divisões em excesso aumentam a sensação de aperto – sem contar que derrubar paredes acrescenta valiosos centímetros aos cômodos. Por isso, nada de compartimentar: concentre várias funções em um mesmo ambiente. “No dia a dia, é melhor ter uma sala só para receber visitas, ver TV, fazer refeições”, diz Diego. “Fica maior, mais agradável e bonito”. Para permitir bons momentos de privacidade, incremente os quartos com soluções como TVs finas e bancadas de trabalho para laptops.

5 – Use os tapetes na maior dimensão possível. Envolva todos os móveis do ambiente em um só tapete. Tapetes pequenos dão a impressão de estar em um espaço cheio de divisões – e, portanto, mais apertado. Além disso, atravancam o caminho, atrapalhando, por exemplo, na hora de arrastar uma cadeira.

6 – Se não quiser tapetes grandes, deixe o piso à mostra.Nesse caso, revista o chão com madeira: “O material natural é mais confortável, bonito e durável do que o piso frio ou laminado”, diz Diego.

7 – Acomode os objetos em armários ou estantes baixas e horizontais. Linhas horizontais parecem ampliar o ambiente. Por isso, troque prateleiras até o teto por estantes compridas e baixas. “A regra é sempre fazer móveis baixos para a TV”, diz Diego. “Eu gosto de estantes para home theaters com altura entre 0,6 e 0,65 cm”.

8 – Reserve a parte de cima das paredes para objetos delicados. Evite poluir a parte de cima das paredes com muitos enfeites ou móveis com grandes superfícies lisas (por exemplo, estantes altas ou armários profundos). Essas peças parecem pesadas e tornam o apartamento mais apertado. Troque-os por peças delicadas, como quadros e fotos ampliadas. Ou deixe o espaço vazio.

9 – Instale móveis suspensos. Enxergar o chão – ou o tapete -desaparecendo debaixo dos móveis faz o espaço parecer maior. “Você ganha área de circulação e leveza”, explica Diego. “Seu pé passa por baixo do móvel. E você consegue ter um tapete mais espesso e macio”. Vale à pena engastar os móveis nas paredes. Mas evite prendê-los no teto: desinstalar os móveis exigirá muito quebra-quebra, caso você queira mudar o layout do ambiente depois de pronto.

10 – Pinte paredes e teto de uma só cor. Para dar um ar contemporâneo ao apartamento, pinte de uma cor só a parede e o teto. “A ideia de uma caixa monocromática combina com espaços pequenos, que costumam ter decoração mais limpa”, opina Diego.

11 – Cores claras transmitem a sensação de que o ambiente é maior. Caso pretenda colocar muitos quadros na parede, escolha tinta branca. Se optar pelo cinza, aplique tons quentes, próximos do bege, para não deixar o ambiente frio. Fuja dos beges amarelados – muito usados na decoração há 20 anos, esses tons saíram de moda faz tempo.

12 – Cubra superfícies inteiras com espelhos. Espelho bem usado desaparece no ambiente: você precisa olhar uma segunda vez para perceber que a peça está lá. Para conseguir esse efeito, fuja dos espelhos com formatos inusitados e com bisotês (os chanfros cortados no vidro). Também evite instalar o espelho atrás da TV, para não desviar a atenção do aparelho. E use o espelho no maior tamanho possível – de preferência cobrindo uma parede inteira ou uma porta de armário. “Fica muito bacana em salas de jantar ou halls”, conta Diego.

Fonte: Casa.com.br