BLOG

Casa premiada aposta na integração radical de ambientes

  • 28 de dezembro de 2012
  • 13h12

Fonte: Terra

Uma casa sem paredes. Foi praticamente isso que o arquiteto Danilo Terra, do escritório Terra e Tuma Arquitetos Associados, fez ao projetar um lar para sua própria família. A ideia deu tão certo que foi premiada este ano pela Associação Brasileira de Escritório de Arquitetura (AsBEA) na categoria Residências.

Tudo começou quando ele e a esposa resolveram sair do apartamento onde moravam, no centro de São Paulo, e procurar um terreno onde pudessem fazer uma casa que atendesse às suas necessidades. Desde o começo, o projeto seguiu uma diretriz clara: a integração radical dos ambientes internos e externos.

Seguindo esse princípio, a estrutura geral da casa parece um enorme galpão com um mezanino, onde ficam os quartos, e uma grande porta de vidro que se abre e integra completamente a sala ao quintal nos fundos do terreno. Os dormitórios são propositalmente pequenos. “Fizemos quartos espartanos porque não queremos que ninguém fique muito tempo nele. Queremos integrar a família a partir da integração dos cômodos”, explica Terra.

A estrutura da casa é bastante ousada, já que não tem nenhuma viga. Para garantir a sustentação do imóvel, Terra criou uma estrutura feita de blocos de alvenaria com cimento dentro, os chamados blocos de concreto armado. O material, mais firme e resistente, é capaz de suportar o peso da casa.

Em cima dos quartos o arquiteto criou um terraço, ao qual se chega por uma abertura no teto fechada por uma estrutura metálica que se movimenta por roldanas. Assim, economizou-se espaço tanto no mezanino quanto no terraço.

E a casa pode ser transformada para receber novos moradores, conta Terra: “Um quarto pode se dividir em dois dependendo da quantidade de filhos que tivermos”. A separação, nesse caso, seria feita por um guarda-roupa.