BLOG

Governo amplia limite de preço de imóveis que podem ser comprados com o FGTS

  • 02 de outubro de 2013
  • 14h10

O Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu, nesta segunda-feira (30), ampliar o valor máximo dos imóveis que podem ser financiados por meio do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O voto pela ampliação foi dado pelo Banco Central (BC). Essa modalidade de crédito tem juros mais baratos,

“A partir de hoje (1º de outubro), ampliamos o valor dos imóveis que o trabalhador pode comprar utilizando seu saldo do FGTS, dando mais possibilidade para quem sonha com sua casa própria. O teto do FGTS será R$ 750 mil em São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, e de R$ 650 mil nas demais regiões’, escreveu a presidenta em seu perfil oficial no Twitter. O antigo limite de R$ 500 mil estava em vigor desde 2009.

Pelas regras, o financiamento não pode ser superior a 80% do valor de avaliação do imóvel. Para financiamentos que prevejam a utilização do Sistema de Amortização Constante (SAC), esse percentual pode atingir 90% do valor de avaliação.

Segundo o Banco Central, “a medida incorpora ao arcabouço regulatório brasileiro as melhores práticas verificadas no mercado de crédito imobiliário brasileiro, que se mostrou bastante sólido no que toca aos critérios de concessão e avaliação do risco de crédito durante a recente crise financeira internacional”.

O banco acrescentou que tais práticas estão em consonância com as recomendações do Financial Stability Board, que, no início de 2012, publicou documento estabelecendo um conjunto de princípios que devem nortear a concessão de financiamentos imobiliários residenciais.

Busca-se com essas medidas, além de atualizar os limites do SFH, aprimorar a regulamentação do mercado de crédito imobiliário, estabelecendo-se requisitos em consonância com as melhores práticas nacionais e internacionais.

Fonte: Portal Brasil