BLOG

No alto da torre, tinha uma casa

  • 20 de fevereiro de 2013
  • 20h02

Londres é uma cidade que não se cansa de mostrar ao mundo que ali tudo é possível. Uma das boas evidências do peculiar pensamento local vem do noroeste da cidade, onde uma antiga torre-d’água, de estilo gótico, foi transformada numa moderna casa com fachada envidraçada. Com 30 metros de altura, a torre foi comprada em 2008 por Leigh Osbourne e Graham Voce pela “bagatela” de £ 395 mil. A dupla decidiu então convertê-la em uma casa de luxo.

O projeto todo é uma espécie de vitrine – mostra para quem está do lado de fora boa parte do que acontece no interior. A fachada do edifício original conserva os tijolos e a arquitetura de estilo gótico. Na lateral, no último piso e na parte de trás da morada, o contraste agudo ocorre com a presença das paredes envidraçadas, que trazem muito mais leveza à fachada original, tipicamente inglesa, embora inspirada na tradição veneziana.

Construída em 1877 por Fowler e Hill, a torre agora abriga diversas salas, uma academia e quatro quartos com ampla vista de 360 graus da capital inglesa. O visual a partir do último piso é caprichado – o patamar é apelidado carinhosamente de “O Cubo”. Ali há ainda um charmoso terraço com móveis rústicos. O acesso aos andares de cima se dá por um moderno elevador.

Os interiores são uma atração à parte, com decoração limpa e contemporânea, apoiada num design minimalista e atual. Com base neutra – paredes brancas, piso claro e escadas de madeira –, o toque despojado e colorido fica por conta das diversas paredes listradas que revestem vários cômodos, como a sala principal com listras em preto e branco, que dialoga com o tapete estampado com motivos geométricos nas mesmas cores, nos degraus das escadas em tons mais sóbrios, combinando com a parede de tijolos aparentes ao lado, em tons clarinhos de azul-bebê com branco em um dos quartos, em azul-escuro com grafite na parede onde fica a cama em outro quarto e em azul-escuro com branco no estilo navy em outro. Um jeito único de morar.

Fonte: Casa Vogue