BLOG

Prédios devem estar em conformidade com nova regra de plugues e tomadas

  • 06 de julho de 2011
  • 13h07

Nos condomínios novos, as tomadas já devem estar em conformidade com a novo padrão que exige tomadas de três furos e com poço, uma cavidade na qual a tomada se encaixa evitando, que o usuário tenha contato com os pinos do plugue.

“O problema é que a maioria dos proprietários de imóveis que possuem aparelhos antigos vão preferir usar benjamins e, ao colocar mais de um aparelho na mesma tomada, a mesma estará sobrecarregada, podendo gerar curto”, explica o vice-presidente de Tecnologia e Qualidade do SindusCon-SP, Maurício Bianchi, que ainda acrescenta que “as tomadas são feitas para receber um único aparelho e, quando recebem mais de um, por meio de benjamin, são sobrecarregadas”.

Finalizada na última sexta-feira (1), a padronização de plugues e tomadas ainda gera dúvidas aos consumidores, principalmente em quem vai adquirir novos imóveis. “Para os instaladores, não houve uma mudança significante, porém, para o consumidor, mudou bastante, eles podem ter grande transtorno, pois precisam fazer mudanças em seus aparelhos e comprar adaptadores”, comenta Bianchi.

Regra das edificações

Já a Lei federal 11.337, de 26 de julho de 2006, determina que todas as novas edificações precisam ter o aterramento da rede elétrica. “As novas edificações, desde 2006, só recebem o Habite-se se estiverem em conformidade com todas as exigências, inclusive do aterramento e das novas tomadas”, conta o diretor de Metrologia e Qualidade do Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), Valdir Volpe.
Já nos prédios antigos, construídos antes de 2006, as tomadas e a fiação necessárias deverão ser colocadas quando houver manutenção dos fios da rede elétrica do condomínio. “Pode ser que haja desentendimento com o condômino, mas, desde que seja lei e exista uma regra para isso, o morador terá que fazer a mudança”, explica o o vice-presidente do Secovi.

Dentro das casas, de acordo com Bianchi, as mudanças poderão ocorrer gradativamente. “Conforme as pessoas forem adquirindo novos produtos, a mudança será feita nas residências”, afirma.

De acordo com o vice-presidente da SindusCon, o encarecimento no processo pode chegar ao bolso do comprador de novos imóveis. ” Houve encarecimento no processo de aquisição, na compra das tomadas. Embora não seja um custo alto, de pouquinho em pouquinho reflete no bolso do consumidor”, explica.

 

Fonte: InfoMoney